quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Amor e outras drogas


Em meio a toda bagunça presente em meu quarto, achei algumas cartas e ao abri-las, em minha mente veio todas as lembranças de um passado nem tão distante assim.

Sentei em minha cama, que para ser sincera, estava com os lençóis completamente revirados e com as fronhas dos travesseiros um pouco sujas. Sei que é um relaxamento e tanto, mas eu não ligava para isso há um bom tempo. Passava a maior parte dos meus dias sentada na cadeira da varanda, olhando o céu, não importando como o tempo estava. Se era chuvoso, observava as pessoas correrem feito loucas para se proteger e outras lutando para que o forte vento não virasse o guarda chuva para cima. E se era ensolarado, observava as crianças correndo e brincando, casais se abraçando e belos passarinhos sobrevoando o céu.

Ajeitei-me em minha cama já esquecida e comecei a ler a primeira frase da carta presente em minhas mãos.
Pequena Mel. Hoje é um dia muito encantador e belo. Um dia doce e alegre. Estou escrevendo estas simples palavras, com um enorme sorriso em meu rosto…”

Não consegui continuar a apreciar aquelas palavras, que como dizia a própria carta, simples. Mas de tamanha importância para mim. Ainda doía saber que aquele dia encantador e belo nunca mais se repetiria. Sinto falta de ver o enorme sorriso que ele diz estar fazendo no momento em que escreve…

Hoje não sei onde ele pode estar, nem com quem e nem fazendo o que. Mas sei onde estou, com quem estou e fazendo o que e é exatamente aí que a minha vida é uma droga.

Por: Isabella Barth confira no Fora da Minha Mente.

Awm, que fofo né meninas? Agora quem ainda tem aquelas cartinhas seja lá de quem for, guardadas, porque todas as meninas já passaram por essa idade de cartinhas, vai sentir aquela nostalgia. Muito fofos os textos dela né?

0 Garotas de Vidro disseram ...:

Postar um comentário